A Importância do Assoalho Pélvico – Parte II

Assoalho Pélvico

A Importância do Assoalho Pélvico – Parte II

O alinhamento da perna e da coluna está intimamente relacionado ao alinhamento do assoalho pélvico. A ponte entre a coluna e a pelve é o sacro (figura) que forma a base da coluna e parte da borda pélvica. Quando se compreende a maneira como os ossos pélvicos, o assoalho pélvico e o sacro se movem, pode-se equilibrar o seu alinhamento por meio dos pés até a cabeça.
O sacro está mais próximo ao centro geométrico do corpo do que qualquer outro osso. Na postura em pé alinhada, o centro de gravidade paira na frente desse osso. Quando movimentamos as pernas ou a coluna, o sacro reage e ele pode suportar ou impedir esses movimentos constantes de dança.
Somando-se a isso, ter um bom alinhamento pélvico e liberdade articular no quadril, depende também do trabalho dos músculos do assoalho pélvico e do abdômen que tem que ser de forma equilibrada e antagônica. Cada plié que se executa constitui um treinamento dinâmico dessas estruturas. Por outro lado, se a estratégia para manter a pelve alinhada for contrair os abdominais, o bailarino estará bloqueando a ação de rotação das hemipelves, pois a espinha ilíaca anterosuperior trava em uma posição fixa. Essa ação cessa o movimento sacral e impede os movimentos da articulação do quadril. Sobrepor o movimento natural dos ossos com força causa pressão na articulação do quadril. É uma das razões pelas quais bailarinos geralmente relatam dores e tensões nas articulações do quadril e limitações na extensão. Isso não é excesso de trabalho, mas falta de informação sobre como criar equilíbrio dinâmico e força no plié por meio da ativação e alinhamento do assoalho pélvico.
Assoalho Pélvico - Sua importância

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


× Como posso te ajudar?